Advertisement Section

Masturbação em alta: 5 mulheres ensinam a gozar gostoso

Tempo para ler4 Minutos, 34 Segundos

Você já se perguntou se seus hábitos de masturbação são normais? Já pensou se faz muito, pouco ou se existe a hora certa para se tocar? Sem tabus, sem julgamentos e sem querer colocar ninguém em caixinhas, a coluna Pouca Vergonha do Jornal Metrópoles ouviu quatro mulheres reais e uma especialista sobre o tema, que ganhou destaque após cena de novela e clipe musical.

Primeiramente, um aviso: não há maneira certa ou errada de se masturbar. A terapeuta sexual Paula Napolitano reforça que, quando falamos de masturbação feminina, o assunto ainda é cercado de mistério. Cerca de 40% das mulheres brasileiras não têm costume de se tocar, de acordo com uma pesquisa conduzida na Universidade de São Paulo (USP) por Carmita Abdo. O dado mostra como o assunto prossegue carregado de preconceitos: “É um reflexo da repressão sexual e cultura machista que ainda existe, de que o foco deve ser apenas na sexualidade e no prazer do homem”, esclarece Paula. 

Na visão da especialista, o assunto deveria ser tratado como algo saudável, uma vez que promove o autoconhecimento e costuma levar ao prazer feminino.

Seja com acessórios, seja usando as mãos. Sem se julgar ou se pressionar, apenas se toque!
Photo by Muhammadtaha Ibrahim Ma’aji from Pexels

Iniciantes

A dica para quem nunca se tocou é se permitir: “Entenda que a masturbação não é algo errado, e sim um maravilhoso processo de autoconhecimento do corpo”, afirma a terapeuta. Para aproveitar o momento, vale preparar o ambiente e buscar um local tranquilo. Diminua a luz, acenda uma vela, escolha uma música, passe creme pelo corpo e olhe as partes íntimas com o auxílio de um espelho para se conhecer melhor. “Enfim, crie realmente um momento prazeroso e erótico consigo, e foque nos benefícios da autodescoberta”, orienta.

Se ainda restam dúvidas de como vivenciar uma experiência marcante, pegue um papel e caneta e anote as dicas dadas por quem entende. 

Conselho da Núbia: se toque

A modelo e atual sensação do OnlyFans Núbia Óliiver ressalta que a masturbação feminina continua um grande tabu. Ela confessa que não existe um número de vezes ideal ou normal, muito menos a hora certa. Para ela, a masturbação foi uma descoberta real da sexualidade atual: “Pode ser sozinha, acompanhada, com acessórios, cremes, vendo fotos ou vídeos”, compartilha.View this post on Instagram

Na prática

O conselho para as mulheres que nunca se masturbaram é: “Se toque para sua descoberta. Entenda seus pontos sensíveis. E, se tiver com travas, procure um massagista tântrico ou veja filmes que ensinam os primeiros passos. Mas faça”, finaliza.

Dica da Dominatrix: lubrifique

Amy Addams é dominatrix há 13 anos e, desde a adolescência, quebra padrões: “Desde cedo, aos 17 anos, comecei a explorar minha sexualidade assistindo filmes pornôs, conversando com as amigas ou tendo experiências sexuais com outras mulheres, o que me proporcionou momentos incríveis”, relata.

Para ela, a masturbação feminina ficou reprimida na sociedade por muitos anos: “Fomos condicionadas desde pequenas a calar nossas  curiosidades, o que não acontece com os homens”, explica.View this post on Instagram

Quanto mais a mulher se toca, mais se conhece. Photo by Mikhail Nilov from Pexels

Na prática

Para a dominatrix, um bom caminho às mulheres é serem gentis e usarem a delicadeza: “Se olhe no espelho, desperte a sua sensualidade explorando seu corpo como um templo, pois você é uma deusa e merece se dar prazer”, aconselha.

Vale também decidir o que te excita, se é um filme pornô ou o uso de um vibrador: “Comece explorando as regiões mais sensíveis do seu corpo se acariciando.  Uma lubrificação é uma dica válida, já que a região íntima é bem sensível.  Aos poucos, você vai ver que se conhecer é fundamental para uma vida sexual saudável, gostosa e intensa”, finaliza.

Para Talita, é questão de hábito

Talita Scarpelli é diretora de marketing e estilista. Dona das próprias vontades, ela é dominatrix há sete anos. Para ela, o cenário da masturbação feminina mudou de 2019 até a atualidade: “O isolamento forçou as pessoas a passarem mais tempo em casa e a mulher entendeu que autocuidado envolve muito mais do que skincare e hidratação no cabelo. É sobre se tocar, se propiciar prazer, entender e reconhecer seu corpo como infinitas possibilidades de orgasmo, além da penetração”, afirma.

Ela conta que a masturbação está presente na sua rotina: “Tem dias que eu me masturbo de manhã e à tarde, na pausa do trabalho. À noite, tenho relação com meu marido e ainda quero mais. Termino e começo a me tocar na sequência. Tem dia que eu não me toco, não tenho vontade. E está tudo bem, em ambos cenários. Se é prazeroso é normal, independente de quantas vezes acontece no dia ou na semana”, relata.

“Conheça sua pepeca! Não adianta comprar vibrador se você não conhece cada pedacinho da sua melhor amiga. Pegue um espelhinho, coloque em uma posição que você consiga se tocar e se enxergar. Se descubra, investigue! Procure em um momento sozinha, crie um clima consigo mesma”, orienta.

Depois que se sentir confortável se tocando, dona de suas sensações e seus pontos de prazer, a dica é comprar um vibrador e buscar novas formas de brincar com seu orgasmo e se deliciar com o seu próprio gozo, antes de querer compartilhar isso com alguém. 

Masturbação é amor próprio

A expert Mistress Charlotte defende que a masturbação é algo muito pessoal, e deve ocorrer quando a pessoa está afim: “É um momento de relaxamento, a mente precisa estar tranquila. Mesmo com a agitação do dia a dia, ela ajuda a relaxar e a conseguir dormir melhor”, conta.

A dica para mulheres iniciantes é perder a vergonha de se tocar e se conhecer. “Inclua a masturbação como um cuidado pessoal, como os seus cuidados com a pele, ou aquele momento só seu ouvindo uma playlist agradável. Tome um vinho ou chocolate quentinho. Vale colocar uma lingerie bonita ou uma roupa na qual você se olhe e se sinta poderosa e sexy. Mas o pijama também vale, o importante é se sentir bem”, orienta.

Chegue lá

Independente de como começar, é importante ir devagar e não se pressionar: “Masturbação é amor próprio puro e faz bem para pele, bem mais que qualquer creme por aí”, finaliza Charlotte.

A terapeuta sexual Paula Napolitano lembra que a perfeição não existe. No entanto, a prática leva a um maior autoconhecimento: “Não espere pelo orgasmo em todos os toques. Essa pressão é bastante prejudicial para o seu prazer”, finaliza.

Happy
Happy
0
Sad
Sad
0
Excited
Excited
0
Sleepy
Sleepy
0
Angry
Angry
0
Surprise
Surprise
0

Deixe uma resposta

Previous post Umbro revela a Toghu, bola da Copa Africana de Nações 2022
Next post Europa restringe voos da África do Sul por nova variante. Anvisa recomenda restrições no Brasil
%d blogueiros gostam disto: